Anais do IV Congresso Nacional de Formação de Professores e XIV Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

ISSN

23593822

Modalidade

Comunicação de Pesquisa

Eixo

Eixo Temático 1 - Políticas e práticas de formação inicial de professores da educação básica.

Palavra Chave

formação inicial de professores, análise de discurso, subjetividades docentes

Identicador

1540



FORMAS DE SUBJETIVAÇÃO DOCENTE E FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: ANÁLISE DISCURSIVA DE PRODUÇÕES DE ESTAGIÁRIOS

Luciana Maria Viviani

Este trabalho tem como objetivo refletir sobre processos de subjetivação docente que ocorrem durante os cursos de formação inicial de professores. As formas de subjetivação docente, aqui entendidas sob inspiração de Michel Foucault e Nikolas Rose, como processos em que os sujeitos são construídos como professores, ocorrem em inúmeras e complexas instâncias sociais e individuais, estendendo-se por um longo tempo, incluindo períodos anteriores à entrada no curso de formação inicial. Apesar de concordar com essa multiplicidade de fatores, considero o período de formação inicial dos professores como central no processo de subjetivação docente, pois representa um momento em que ocorre a mediação de discursos trazidos pelos alunos à instituição formadora e de discursos identitários modelares veiculados nas práticas das disciplinas do curso. Os procedimentos da pesquisa envolvem a análise de discurso foucaultiana de produções de estudantes de um curso de licenciatura em São Paulo para formação de professores da área científica, na fase final de realização de estágios obrigatórios, momento em que os licenciandos aproximam-se do encerramento do curso. No terceiro e último módulo de estágios, o trabalho final é a produção de um texto em formato de artigo com relatos de experiências de estágio ou uma reflexão sobre o próprio percurso formativo. No segundo semestre de 2017, na disciplina referente a esse módulo de estágios, sob minha responsabilidade, dez estudantes elaboraram tais trabalhos, que constituem as fontes deste estudo. A maioria dos relatos referem-se a atividades de regência dos estagiários, havendo dois textos a respeito do percurso formativo dos estudantes e duas produções sobre projetos desenvolvidos paralelamente à regência. As análises permitem descrever dois enunciados bastante frequentes nos textos, relativos ao que seriam boas práticas docentes: o direcionamento a procedimentos de ensino voltados à proposição de atividades lúdicas e práticas; a adaptação de procedimentos de ensino às particularidades e/ou dificuldades de aprendizagem das turmas ou de certos alunos. Mediante essas análises, verifico que os discursos dos estagiários produzem uma modulação de discursos identitários associados a produções acadêmicas da área educacional, reforçando alguns de seus aspectos. Tais discursos também se referem a questões pragmáticas associadas à prática de ensino vivenciada nas atividades de regência. Dada a proximidade da titulação e consequente certificação para a entrada no mercado de trabalho, os processos de subjetivação docente neste caso envolvem assumir posições de sujeito que possam facilitar o cotidiano da função docente, em interação com elementos discursivos de teorias educacionais.